quinta-feira, março 19, 2015

Filme - “GAROTA EXEMPLAR” E A METÁFORA DO CASAMENTO EXEMPLAR

“GAROTA EXEMPLAR” E A METÁFORA DO CASAMENTO EXEMPLAR
by Rômulo Giácome


                Garota exemplar é um thriller de suspense e ação, que tanto pode ser utilizado em um escopo psicológico quanto jurídico. No entanto, acaba afundando, pesado que é, nos subterrâneos de uma consciência dura e certa: a de que o casamento é sempre um encontro de desencontros, e um pacto tácito de dúvidas entre o ser e o parecer do outro.
           Sua qualidade enquanto representação, enquanto produto final de um signo metafórico, espelha um intricado jogo de espaços entre personagens, atuantes de um casamento transformador. A disputa destes espaços, um e outro invadindo e recuando, atuando ou disfarçando, neste palco chamado casamento. O filme é a dramatização processual e alegórica da própria representação do real frente ao conceito construído de casamento. Em si mesmo está inerente a própria essência do relacionamento, encrustado no drama.
O ciclo de reflexão do filme é aberto na primeira cena; Amy está com a cabeça sobre o colo de Nick, com a face virada e somente seus cabelos aparecem; ele pousa sua mão sobre seus cabelos e, carinhosamente, acariciando-os, comenta: “o que fizemos de nós”; neste momento ela se vira e deixa seus olhos penetrarem em Nick, subtendido na perspectiva da câmera que narra.
Esta é a cena start da trama e de seus significados intencionais; a pista da importância desta cena está confirmada quando é a mesma que conclui o filme; desta ignição, cada um vai se apresentar sobre o fato insólito que é o motor da trama: o sumiço de Emy. Em camadas e ciclos, cada parte (marido, irmã e esposa) vão sendo apresentados, em caixinhas abertas no decorrer da película, como em um ciclo de pistas e etapas, em que se descortinam o real da personalidade dos actantes sob a face aparente.
As caixinhas vão sendo abertas, e tudo que parecia perfeito, um casamento perfeito, se mostra um jogo intricado de comportamentos e segredos, descortinados em fases: Nick, abrindo as costuras dos segredos de Amy; depois Amy, em uma sacada semi-previsível, expondo os flancos de Nick; Amy, a controladora, ambiciosa e egoísta? Nick, violento, comprador compulsivo e preguiçoso? Traidor? Quem são e serão? Mas dentro do jogo, será necessário saber?
As lacunas vão sendo preenchidas por um narrador individual, como em Nick, tal qual um Bentinho, de Dom Casmurro (machad de Assis) disposto a falar e lutar pela sua liberdade; mas do outro lado do ringue narrativo temos também “Capitu”; mais viva do que nunca, encarnada em Amy, com capacidade de fazer tudo, tudo mesmo, por algo que ela acredita.
Os espaços ocupados no relacionamento, neste contrato tácito chamado casamento, exige o ser real? Ou o personagem aparente, escondido sobre as camadas dos rituais necessários, dos templos sociais e da inércia do sentimento, que também amordaça e constrói simulacros?
Ante a possibilidade de se arrebentar, sendo você mesmo, diante de um muro de realidade dentro do espaço real chamado casamento, ou se equilibrar, como um acrobata sanguíneo, na corda bamba do picadeiro deste ritual; o filme opta por visualizar os efeitos disso tudo, e verificar que entre as brechas destas decisões, circulam um tipo de vento alísio frio, que mantém os corações alertas e a liga deste cimento todo: seria o amor?
       Filme obrigatório. 

quarta-feira, março 11, 2015

OUTSIDER PICTURE SANTIAGO (CHILE) - 10 IMAGENS ART DA CIDADE CHILENA

Uma cidade é um espaço urbano que congrega a diversidade de comportamentos e identidades culturais, que mesmo unidas por um idioma, tornam-se plurais na forma de entender seu relacionamento com o espaço físico, trabalho, valores e condutas. Uma Capital, principalmente federal, tem a tendência a canalizar a maior expressão destas divergências e convergências, que sob um prumo de convivência, atuam de modo ordenado ou desordenado. Santiago é uma cidade cosmopolita, que intenta suplantar o paradoxo do antigo e do novo por meio da revitalização do pensamento gráfico, da urbanização de setores com uma arquitetura moderna e com a tendência ao esporte, quadrantes que intentam ilustrar por meio das dez fotografias selecionadas.

Boltanski - In: Museu de Belas Artes (by Rômulo Giacome)


Ciclovias - Dia de Domingo em Santiago (by Rômulo Giacome)

 Grafite e Placa do Bellas Artes - O contemporâneo e o novo eterno do clássico (by Helem)


 Exílio - Museu dos Direitos Humanos - (By Rômulo)


O lugar da revolução no imaginário Pop - Grafite  em parque municipal (by Rômulo Giacome)

 Grafite incidental - Parque (by Rômulo Giacome)
 Crítica política no grafite - Parque (by Rômulo Giacome)
 No contraste das formas - Arquitetura moderna - Costanera (by Rômulo Giacome)
 Onda Artificial - Mall Sports - (by Rômulo Giacome)
 Escultura contemporânea no museu da Moneda (by Rômulo)
 Vozes do Metrô - Banda de Jazz (by Rômulo)