sexta-feira, junho 02, 2006

PESQUISADORAS DO GRUPO TEOLITERIAS DEFENDEM PROJETOS

por Professor Rômulo Giácome de Oliveira Fernandes

HEI, HO, LETS GO!!!

Antes de começar este post, quero avisar aos acadêmicos do 1º período que o material de apoio para a prova está no link lá em baixo. Um beijo a todos.
_______________________________________

Não poderia passar em branco uma primeira indicação musical:
Morrissey em RINGLEADER OF TORMENTORS - (foto abaixo)
Fatal e sedutor;não faltam motivos críticos para escutar Morrissey,
uma vez que ele salvou o Rock nos anos 80 com a banda The Smiths;
as minorias, aqueles que clamam pelo amor, ou pelo amor indubitavelmente grandioso, para esses The Smiths tocavam; ou para aqueles que sentiam-se pequenos demais diante do mundo ou grandes demais para o próprio corpo; a inconsistência de se reconhecer perdedor, anarquicamente envolvido nos desejos ocultos que dilaceram
o corpo e deturpam a alma; talvez o elemento sensorial de sentir o chão caindo sobre a cabeça "I know over"; bem, The Smiths é antológico; mas voltando a Morrissey, podemos encontrar nele um bom motivo para calarmos a boca quando afirmamos que a arte pós-moderna é um lixo; lixo orgânico é vida, diriam alguns; o que se sabe é que eu aqui não consigo passar um segundo sem escutar o refrão de "The Father who must be killed"; A música Pop é referência em si mesma; Ela é existencial porque a elocução é momentânea, circunstancial;
O que a eterniza é a possibilidade de um enunciado subjetivo e íntimo, com temas que tocam a maioria de uma forma sincrética;
Neste álbum o tema Killed e suas variantes (assassinar, matar) fortalece uma via fúnebre, mas não é nada disso que faixas como
"You have killed me" evocam; elas proporcionam um rock sem muito exagero experimental, mas um forte apelo poético, com letras que conseguem exprimir um caminho natural de espírito, de bonificação à alma, sem ao menos encararmos que alma pode ser a-religiosa, ou até mesmo anti-religiosa; alma enquanto nosso substrato sensível, aquele que tem medo, aquele que se sente inseguro, aquele que se sente triste e sozinho; a sensação de uma balada como "Dear god please Help me" (Senhor Deus, por favor salve-me) é a anti-matéria da religião, pois visualiza múltiplos caminhos para esta suposta ajuda, até um surpreendente caminho blasfêmico; bem, a sensibilidade é coisa que se adquire, o bom senso já é consciente; o sabor da melodia e o frescor de um bom e velho Rock and Roll, é o cosmo de sobrevivência da poesia, tendo em vista que ela herda de tudo isso nas rupturas promovidas. Salvem-se enquanto ainda é tempo. Escutem.



____________________________________________
POEMAS DA SEMANA
por Rômulo Giácome de Oliveira Fernandes
____________________________________________

clAMOR / clAMAR

eu clamo pela palavra
palavra-grito
a palavra fome
um ponto no rosto, a lágrima-palavra
a fuga e o sonho,
o peso e o pesadelo
um velho senhor tombando na rua de lama com platéia
caindo e tocando o solo com o rosto
e a criança por demais criança, agachada olha
e ninguém nada faz pelo nada e mais nada
simplesmente a doença contagiosa e diferença
o ódio e o rancor respingam de sangue a blusa branca
indiferença
e um corpo na calçada, jazido e jaz(z)
ainda que ninguém espere ser
eternamente o próximo
sempre serei eu


O DESEJO E SUA MORADA

na chama amarga e seca do fogo
dois corpos queimam
e as mão saindo da cortina de fumaça pedem
com os dedos abertos, anéis e alianças se cruzam
as mãos se encontram e se tocam
em espasmos de dor se condicionam
corpos que dilacerados pelas lâminas vermelhas
gritam e perfuram o silêncio da noite
aponta um dedo em riste no norte
e tombam ainda sobrando de trapos
sangue, pele, ossos e desejos
incompreendidos.

____________________________________________________
QUERO PARABENIZAR AS MENINAS DO GRUPO TEOLITERIAS
QUE BRILHANTEMENTE DEFENDERAM SEUS PROJETOS DE PESQUISA
NESTA ÚLTIMA QUINTA-FEIRA, SENDO MOTIVO DE ORGULHO PARA O GRUPO;

NENHUMA CONQUISTA VEM POR ACASO; ELA É FRUTO DE COMPROMETIMENTO,
RESPONSABILIDADE, INTELIGÊNCIA E HUMILDADE; A FORÇA DE VCS PROVA QUE NÃO EXISTE ADVERSIDADE ENQUANTO UMA PRÓPRIA CRIAÇÃO NOSSA; QUE ISTO SEJA APENAS MAIS UM MOTIVO PARA VOLTARMOS AO ZERO E PERCEBER QUE TEMOS MUITO AINDA O QUE FAZER, MAS QUE COM A CAPACIDADE DE LUTA QUE CADA UMA DE VCS TEM, ISSO É POSSÍVEL; OBRIGADO PELA PACIÊNCIA; CONTINUEM ADMIRANDO O ESPECTÁCULO DO TEXTO LITERÁRIO NESTE MUNDO CADA VEZ MAIS CADUCO DE SENSIBILIDADE E VONTADE; NUNCA, REUTILIZANDO A FALA DA PROFA GEANE (QUANTO À INDIGNAR-SE), DEIXEM DE CONTEMPLAR A FAGULHA DA LITERATURA, SEU VALOR EFÊMERO, MAS QUE QUANDO ASSIMILADO, INFLAMA AS ARTÉRIAS E DÁ O NORTE DA SENSIBILIDADE; ABRAÇOS A TODAS;


LINDA LETICIA TURINI
Crítica Literária: Consonâncias e Atritos na Lógica Discursiva de Antônio Candido, José Veríssimo e Alfredo Bosi.



ROSELI FATIMA DE CAMARGO
A incursão do índio na poesia Brasileira: consolidação de uma estética nacional



PRISCILLA GOMES DE OLIVEIRA
A arquitetura narrativa do desejo: o signo sensual e o limite da sugestão



MARISTELA RODRIGUES PADILHA
A visão da mulher Romântica em José de Alencar: uma Leitura de Lucíola, Iracema e Senhora



ILMA APARECIDA PAREDE STRELLOW
Do Verso ao Signo: Uma (Re)Visão do Poema Concreto no Contexto Moderno



ELIZABETH CAVALCANTE DE LIMA
Diálogos Semióticos entre Texto e Imagem: (Re)Discutindo o Cânone Barroco



ALCIONE MENDONÇA AUGUSTO
Desmistificando o cânone literário: conceitos e funções



_________________________________________
Cliquem neste link que abrirá o material de apoio
para a avaliação bimestral; abraços, Prof. Rômulo

MATERIAL DE APOIO - TEORIA DA LITERATURA