MENU PRINCIPAL

quinta-feira, fevereiro 10, 2005

Carnaval também é literatura: porque não?

Estamos aqui de novo....
neste pós-carnaval, nada melhor do que escrever para voltar ao
mundo dos lúcidos; por que não?
se pensarmos que carnaval também é arte; carnaval também é linguagem
(vejam como representa) podemos afirmar que carnaval não deixa de ser
um parente da literatura;;;; (os desfiles da escola de samba, bem dito)

Bem....

aos alunos dos Is períodos, inicio minhas poucas palavras rememorando dois
conceitos fundamentais:

- modulação: justamente o processo pelo qual o signo multiplica suas possibilidades,
saindo dos graus primeiros da escritura, perpassando ao abstrato;;
evoluindo do grau zero da escritura, onde (prego é prego de pregar) até a possibilidade
do prego ser (alguém muito idiota) grau 1; subindo até o prego da cruz (grau 2), até o que representa nela (misericóridia) grau 3;;
Notem que esta evolução propicia ao texto ter polissemia, pois admite uma variedade maior de possibilidades interpretativas;;;

- polissemia: é a virtude lingüística que o texto possui de admitir variadas leituras, possibilitando ao signo agregar um maior número possível de significados mediante diversos contextos de significação;;;

Aqui vão alguns conceitos importantes a serem eternamente lembrados:;;

- A linguagem literária está centrada sobre um impacto constante, uma mudança de valores,
um trabalho sobre o código em que opera;
- O caráter paradoxal da linguagem literária é proveniente de seu caráter tensivo (oposições)
- "interpretar é escolher um percurso de leitura"
- "interpretar é substituir o signo por seu possível substituto"
- "a linguagem literária parte de pressuposições" (o signo pressuposto)
- "a linguagem literária é sofisticada porque admite o polissêmico com estilo"

Bem
Isto são alguns dos itens indispensáveis ao discurso literário
Aproveitem a obra poética como quem recebe um segredo;;
a leitura de um poema é um ritual, assim como é qualquer recepção de arte;;
um ritual que coloca a linguagem como grande portadora de sentidos;;
um ritual que propõem na linguagem respostas às inacreditáveis dores do mundo;;;
um ritual que procura descortinar os mistérios da obra;;;
um ritual que procura evoluir, desenvolver as imagens, os sons, as texturas;;

Um poema sempre deve ser lido em voz alta;;;

mudando de assunto...

//amigos do V período: vs estão entrando em uma nova fase do curso, aquela em que não somente escutarão os professores, mas terão a oportunidade de atuar, mostrando o que sabem;;
se ainda não sabem, não tem problema.. toda aula se prepara com antecedência;;; leiam antes;;
saibam o que vão falar com antecedência;;;existe um tempo limite e este tempo deve ser trabalhado;;; trabalhem o tangível e não o que pode ser;;;
Vcs estão vivendo uma revolução no departamento de letras. O momento em que vcs estarão
propociando conhecimento a acadêmicos de outros cursos e a sociedade de Cacoal. É um momento solene mas é um momento de muita responsabilidade..

Estou feliz por saber que esta responsabilidade está em suas mãos, V período;;;
confio demais em vcs e sinto-me tranquilo em saber que será de vcs o mérito de
tudo isso;
Amo muito esta turma..

//

Hoje não terei o momento cultural (ou incultural);;;
mas lembrem-se (como saberemos o que ébom se não tivermos o que éde pior?)

Um grande abraço a todos


2 comentários:

Renata disse...

Hi teacher
Confesso q me vi perdida no começo da aula ontem - I B. No final e mais ainda aki no blog comecei a ver uma luz no final do tunel..mas é isso findi ta ahi e férias tbm...vou me acabar de estudar

Silvia Cobelo disse...

Gostaria de divulgar o curso que ministrarei na CASA GUILHERME DE ALMEIDA, SÃO PAULO:

​CARNAVAL E LITERATURA: ADAPTAÇÕES INTERSEMIÓTICAS DE OBRAS LITERÁRIAS
Quintas-feiras, 4, 11 e 18 de maio de 2017, das 19h às 21h

O curso aborda as adaptações de obras literárias feitas para desfiles de escolas de samba. Após uma breve história do carnaval, desde as festividades europeias até as brasileiras, se abordarão enredos que se utilizam obras literárias como base. Entre elas, se discutirão neste curso clássicos da literatura brasileira e estrangeira, além de canções, peças de teatro e filmes.

Esta atividade poderá contar como crédito de horas para o Programa Formativo para Tradutores Literários.

Silvia Cobelo, tradutora literária (inglês / espanhol) e roteirista formada pela UCLA, especializou-se em traduções e adaptações da obra de Cervantes, com pesquisas de mestrado e doutorado, realizadas na Universidade de São Paulo (USP, focadas em Dom Quixote. É pesquisadora sênior em três grupos de pesquisa do CNPq ligados à tradução literária e à obra de Cervantes. Como membro ativo de associações de Hispanistas e Estudos da Tradução/Adaptação, participa dos principais eventos e publicações nacionais e internacionais dentro dessas áreas.

Obrigada!