MENU PRINCIPAL

terça-feira, abril 26, 2005

O DEVENIR...EVANESCENTE

Escaparam do horizonte olhares perdidos
caminhando, o espaço não é mais
a pequena esfera que gira sob nossas cabeças
apertado foge um pequeno soluço
dos lábios azuis do sol sem festa
o sol sem calor e sem sol

um pequeno soluço incendeia
alenta
do frio amigo à noite
cabera tudo dentro de um pequeno copo
e nele esvaziava dia após dia
quem dera um último gole cesse
mas se cessa, vivia;
(a tristeza é uma pequena dádiva do coração)
(uma pequena doação aos deuses que brincam,
trotam nos cordeiros que pulam felizes ao
sacrifício)
(sacrificar é banalizar-se)

vontades não morrem, a morte não sonha
como sonham nossos sonhos
previsível a desgraça, incógnita a vitória
mas a vitória é prêmio duro: vencer é destruir
apenas cesse e viva;
e se viver que agora salte
se saltar que agora grite e cante
se cantar não termine
mesmo que a noite acabe o dia venha
dotado de músculos reais

se afogar no cotidiano já
não sem motivo de fuga
não sem motivo de agonia
que viva ainda no último gole
que exista enquanto último
que lampeje enquanto luz

não deixo os segundos sem tempo
fugir da batalha e esperar a derrota?
a derrota é uma vitória fácil para a morte
não deixo que vá
de maneira nenhuma possa ficar
plantado como tronco caído
deseperos, sotejos, murmurar perdido
dentro de mim um eu sempre presente

descarrego na vida o peso da morte
desafiar é viver
tudo está a meu favor
tudo está onde justamente nunca deva estar
somente o devenir
(o devenir, esta vontade intensa de ter e ao
mesmo tempo desdenhar)

Ser um devenir é tarefa dura
persistir é encontrar
nos cantos da casa, nas quinas da mesa,
nos entre-livros,
um motivo para ser
e ser
já é uma vitória perfeita

Rômulo

// Não poderia acreditar em mim sem uma certa suspeita...
Será? Como? Por que? Mas desde o momento que encarei tudo
como um processo, e veja bem, já não sem tempo percebi que
ainda não sei o que é um processo...
Talvez processo seja um movimento... (para onde?) talvez compreender o processo é entender sua origem (onde?) ora, talvez seja apenas a ligação entre dois pontos (quais) ora bolas, que seja então dado o nome de processo à aquilo que não determinamos, mas sabemos que existe? (pode existir algo que não determinamos?)
O passar do homem pela história do globo é um processo. Categoricamente, um micro processo seria minha passagem pelo globo. Mas se ainda não finalizei minha passagem, posso estar em processo? Um processo que ainda não possui conclusão? Será que um processo é justamente indicar apenas um pedaço do movimento e a partir dele, perceber sua dinâmica? A vida seria um processo? Nas ciências, as descobertas são um processo? ??? ///

3 comentários:

Anônimo disse...

comentei e agora?
gostei do seu texto
abraços

Anônimo disse...

Acho os seus textos atuais e interessantes
Ass: Lu

Anônimo disse...

28/04

Sabe, minha concepção de literatura mudou muito depois que comecei a fazer letras( como não podia deixar de ser).Entretanto, a questao nem é esta, os seus textos refletem bem o que você demostra nas aulas, em princípio uma loucura total,(o que particularamente agrada muito os alunos por não ser aulas monotonas), mas a partir do momento que paramos para refletir, o conteúdo se faz totalmente carregado de significados, e nem é só para mim que faço o III Letras (os seus textos fizeram sucesso até mesmo aos totalmente leigos no assunto).
Não tentei analizar seus textos, levaria muito tempo e por mais que você diga que nossas analises sao boas sei que meu caminho ainda é muito longo( posso até fazer a analize mas, com serteza não te mostrarei). o que digo desde já é que, as suas palavras são carregadas do "BELO", o mais literariamente falando.
Portanto não se preocupe, continue criando, e demonstre a sua obra, ela agrada ao espirito de quem a lê.

Abraços...
de sua
aluna...