MENU PRINCIPAL

sexta-feira, abril 23, 2010

Obra - PROFESSOR DO ENSINO SUPERIOR:IDENTIDADE, DOCÊNCIA E FORMAÇÃO

.
por Rômulo Giácome
Diante de escasso material bibliográfico com boa base social, filosófica e pedagógica sobre o ensino superior, a obra PROFESSOR DO ENSINO SUPERIOR: IDENTIDADE, DOCÊNCIA E FORMAÇÃO consegue demarcar bom ponto de apoio às reflexões desta orbe, bem como assinalar profundidade ao nível das discussões sobre a formação do professor universitário e seus dilemas.

Organizado por Marília Costa Morosini, esta obra contempla questões profundas sobre a formação do professor universitário no Brasil. Dividida em artigos de colaboradores no campo da educação e pesquisa universitária, a obra discute áreas como Educação Superior e Sociedade, Comunidade Científica e da informação, Ensino e Formação como mediação, políticas públicas e privadas de educação superior e pesquisa científica.

As problematizações lançadas pela obra vem a calhar nas modernas discussões sobre o ensino superior, quando tratamos da porção ensino. Muito se tem falado na pesquisa, na formação dos egressos e na implementação de tecnologias e aspectos humanos aos currículos. No entanto, pouco se tem falado na formação dos professore do ensino superior. Inclusive não existe um plano formal de carreira, nem exigência legal ou prática que determine, enquanto diretriz, o ofício do professor universitário.

Assim, os problemas evidenciados pela obra lançam faíscas nos seguintes pontos:

a) Qual o plano de carreira na formação do professor Universitário? Quais as políticas educacionais propostas quanto a isso?

b) Professor pesquisador x professor docente; Título versus qualidade de ensino; técnicas versus aspecto humano;

c) Mudanças de hábitos na prática didática / docente do professor universitário: Liberdade de informação ou amarras na compreensão? Capacidade Interpretativa ou experiência repetitiva da técnica?

d) Comunidade científica na Universidade: Para quem? Qual a função social da pesquisa? A universidade é o centro da informação científica na atualidade?

e) Quais vetores determinam a formação do professor Universitário? Ensino e mediação; exterioridade da Universidade: "a escola aprisiona quem está fora?"

Um obra indispensável ao professor universitário que quer fincar sua bandeira teórica, ideológica e científica sobre sua atuação e convicção
docente.

Segue link para aquisição desta obra no site domínio público.

PROFESSOR DO ENSINO SUPERIOR: IDENTIDADE, DOCÊNCIA E FORMAÇÃO

ATIVIDADES REALIZADAS A PARTIR DA OBRA PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU DIDÁTICA E METODOLOGIA DO ENSINO SUPERIOR I TURMA DE OURO PRETO
RESUMOS



Ensino como mediação da formação do professor universitário (Maria Isabel da Cunha)
Ana Flávia M. Carmargo; Atos Martins de Oliveira; Diego Rigamonti; Eduardo Roberto Pavezzi; Eronete Gonçalves Lima Chaves; Marluce Pereira Gomes Marcheze; Rosimeire de Oliveira Lima; Shigueyuki Nagatomo; Simone Hotts Costa da Silva;


Conforme leitura do texto, verifica-se que, o professor é mediador no processo ensino-aprendizagem. Essa mediação se dá numa busca constante de auto-formação, dispondo de habilidades e competências de seu conhecimento. Maria Isabel da Cunha tem o objetivo de enfatizar que, o mediador deve ter um conhecimento amplo e geral, ou seja, técnica, teoria, pesquisa, humanística, subjetividade e assim reconstruir sua função docente. A autora aborda a inexistência de critérios definidos para a formação do professor universitário, que por conseguinte busca a auto-formação. Também a relevância que é dada atualmente aos conhecimentos técnico-científicos desprezando os saberes subjetivos. O texto sugere como solução a reconfiguração da prática educativa com necessárias rupturas como processos complexos que precisam de compromissos ético-político e da reorganização de saberes e conhecimento do professor. É preciso recuperar no professor a dimensão do desejo, a firmeza de que seu trabalho vale a pena, de que é preciso mudar. O professor deverá ser chamado ao exercício de sua autonomia intelectual, à medida que tiver espaço para pensar no seu ensino. “A reconfiguração do trabalho docente requer uma simbiose dessas duas vertentes acrescidas de outras habilidades/conhecimentos/saberes, que provoquem no estudante o protagonismo de seu próprio saber". (CUNHA, p. 48).
COMUNIDADE DE CONHECIMENTO, PESQUISA E FORMAÇÃO DO PROFESSOR DO ENSINO SUPERIOR.
Danielli Daisy Pestana, Hudson Roberto Salomão, Isaías Borges dos Santos, Kassia Cristina Rodrigues Costa, Jane Freire de Almeida, Leiliane Francisco Lima, Palôma Taís Silva, Poliana Rezende Nunes Costa, Rubéns Batista de Souza, Santa Antunes Teixeira dos Santos
O professor faz parte de um trinômio que se revela através do conhecimento pré-adquirido, pesquisa e formação. O objetivo do trinômio é a busca pela qualificação profissional, onde a pesquisa entra como parte fundamental da formação pedagógica. A grande problemática encontrada nas instituições é estabelecer uma relação positiva entre docência e pesquisa, onde a identidade do professor é colocada à prova nos dois campos de atuação. Nesse mister, encontram-se como coerentes soluções, o acesso do professor ao conhecimento sistematizado e a forma de desenvolvê-lo em sua área específica.E a socialização do conhecimento sistematizado como fim especial à formação e ao exercício profissional na sociedade.

Conhecimento social na sala de aula universitária e a autoformação docente
Adriana Francisco, Maria Celeste Hoffman Teixeira, Ana Paula Mafia Policarpo,Daiane Pereira dos Santos, Gabriel Pereira Galindo, Ednilda Maria dos Santos Mariano, Katielli Karla Silva Medeiros, Norma Regina de Oliveira, Ruskaia Louise Lenk
O texto tem por objetivo discutir a prática da construção de um conhecimento social na sala de aula universitária e os processos de qualificação e autoformação docente (problema). Muitos professores tem tido dificuldades em compreender e articular o conceito de inovação na construção do conhecimento.Inovar é causar transformação, é aplicação de métodos intencionais, ou seja, com objetivos estabelecidos, considerando o contexto histórico de seu grupo, levando-o a pensar o sistema em que se está inserido, formando visões de mundo que mostra o indivíduo como sujeito de sua história, capaz de provocar reforma, e, principalmente, considerando a sala de aula como momento de troca de saber onde aluno e professor aprendem juntos.

O lugar da reflexão na construção do conhecimento profissional.

Carlos Alberto Ricarte, Céres Bandeira, Fabiana Sousa Pereira, Juliana Clarindo de Freitas, Marta Maria de Oliveira, Simone Leite de Freitas, Sirley Leite Freitas, Sônia Maria de Oliveira

O processo de construção do conhecimento profissional é complexo e dinâmico. Como não há um modelo ideal para a prática docente, este deve ser constantemente construído no decorrer da vida profissional. O conhecimento técnico deve estar aliado aos aspectos psicossociais e pedagógicos, ou seja, que contemplem a subjetividade do professor e aluno como indivíduos, e gerando mudanças/ajustamentos na sua prática. Quando a reflexão é o ponto crucial da atuação profissional, tem-se a possibilidade de uma visão ampliada da prática, fomentando as intervenções pedagógicas necessárias. A reflexão não deve ser entendida como um bem em si mesma, ou seja, reflexão pela reflexão, e sim, como fator subsidiário para a mudança de postura e atitudes.

DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA E OS
DESAFIOS DA REALIDADE NACIONAL
Edilene Mendes Schimidt, Angela Maria de Souza, Aldinéia Pereira da Silva, Josué Evangelista de Jesus Silva, Ivany Alves Pereira, Roberto Aparecido Custodio , Genilda R. Mendonça, Hélio Menezes Soares Gleison Paula Caldeira Oliveira.


Objetivo do texto: Identificar e analisar a docência universitária diante dos desafios da realidade nacional num mundo globalizado. Problema abordado: Qual a competência didática do professor universitário? Ele esta realmente preparado didaticamente? A partir das reflexões acima chegamos às seguintes conclusões: A busca de qualificações didáticas dos professores, tendo em vista que medidas avaliativas de grandes resultados foram implantadas avaliando os desempenhos dos alunos da instituição. Este desempenho didático que faz a relação entre o professor/aluno. Não há uma sistematização voltada ao professor. Sugestões do grupo: Necessita mais investimentos financeiros na educação, para facilitar o egresso do acadêmico, criar programas de avaliação de professores, criar condições de formação para os profissionais atuante.


Nenhum comentário: