terça-feira, março 05, 2013

On the road - ENCONTRO COM O BARROCO DE ALEIJADINHO E DOZE PROFECIAS (CONGONHAS, MINAS GERAIS)


Construídas entre 1795 e 1805, pela Equipe de Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho), os Doze Profetas é uma obra prima do estilo Barroco, localizada no Adro Central da Igreja de Bom Jesus de Matosinhos. Representa um ornamento Religioso, mas além disso, uma ambiguidade latente entre o Cristão e o Misticismo Oriental, projetando iconografias simples e ocultas, além de leituras especiais do texto bíblico.  By Rômulo Giácome

O encontro oficial com o Barroco em uma viagem ao estilo on the Road seria o máximo. Não menos contundente, a falta de informação sobre as cidades que percorreria entre Juiz de Fora e Belo Horizonte, levou ao surpreendente pernoite em Congonhas, cidade da bela e histórica Igreja de Bom Jesus de Matosinhos.  Pendurada em uma montanha tipicamente mineira, estava ela; deslumbrante, com seu Adro Central repleto daquelas jóias Barrocas emolduradas e expressivamente esculpidas pelas mãos de nada mais nada menos que Aleijadinho. A surpresa da presença forte dos 12 profetas em Congonhas não merecia perca de tempo. A chegada foi a noitinha, que logo virou noite pronta; questionamentos rápidos sobre a localização da Igreja e lá já estávamos; nem mesmo hotel, nem mesmo lanche; a fome era de Barroco verdadeiro. Fome de história. E lá estava. Como mágica, uma belíssima Igreja, ao largo um prédio Colonial antigo (que seria nosso hotel) e os Doze Homens de Pedra Sabão, vivos, mais do que nunca, erguendo o braço, segurando suas profecias, adornados de animais; e tudo iluminado, imantado de beleza mística.

É bom salientar que não estava nos planos tal encontro. Era retorno de Petrópolis e a ressaca lúdica da viagem e a vontade de chegar permitiu uma pequena miopia entre o percurso de volta; Mas como o bom e velho estilo de viagem “pé na estrada” nunca falha, oportunizamos um encontro único.
Magnetizado pela antiguidade e pelo halo de experiência do local, procuramos hospedagem ali mesmo, em um casarão antigo, do período colonial e de formação do Paço central. 

A nossa surpresa foi que havia vagas e o preço era convidativo; no mesmo hotel havia restaurante; não foi uma experiência exuberante, mas eficiente. Abaixo a foto do profeta Isaías, caracterizado como mais velho;
 A noite passou rápido e era nítida a ansiedade de registrar as obras de arte; demarcar aquele momento importante. Logo no início do alvorecer, amanheço com o legado de Aleijadinho; a perspectiva era excelente; e a estátuas, complexas e ilustradas, pareciam irromper a qualquer momento do seu sono secular. A iluminação artificial já cedia lugar á iluminação solar, o que resultava em um efeito estético fascinante.



Vimos o sol nascer, eu, e Jeremias; A disposição dos Profetas no Adro Central remetem a uma intencional coreografia. Existe uma nítida comunicação entre os personagens, que dialogam por suas camadas profundas de entendimento; a simbologia de cada um reflete a iconografia de suas profecias, dialogando com seus movimentos indiciais; um estudo minucioso deve explorar melhor este diálogo polifônico entre os movimentos de cada profeta, sua iconografia e adorno, além da sua profecia; é muito importante assinalar que existe uma comunicação infra-semiótica, que se reflete na metáfora construída a partir da encenação. Teríamos então três planos de análise: o primeiro plano da simbologia intrínseca a cada profeta e seu cunho histórico; o segundo plano seus adornos, desde seus manuscritos, insígnias e ornamentos; o terceiro a relação potencial, fórica e disfórica entre eles;
A perspectiva Barroca de construção, principalmente de Aleijadinho, reflete os intentos mais místicos do que cristãos; sustentado por uma iconografia oriental, (rostos Afinalados, olhares aduncos, mantas e túnicas), refletem as várias facetas de um misticismo potencial. Abaixo, foto da belíssima e perfeita estátua de Daniel. Consta que talvez seja a mais perfeita, o que corrobora a tese de que tenha sido feita pelas próprias mãos de Aleijadinho. É muito expressiva e detalhista a forma como a face, a túnica e a Juba do Leão de Daniel está composta; expressa o verdadeiro entendimento do detalhe Barroco, da jóia trabalhada e composta para chegar ao máximo possível de riqueza. 


O trabalho detalhista que o Barroco de Aleijadinho vislumbra, pode ser visto, grosso modo, na túnica de Baruc, em seus detalhes e movimentos, extraídos de um material pesado como a pedra sabão. São detalhes tipicamente de Aleijadinho, pois demarca seu estilo de escultura; formas fluídicas com movimento e detalhe em pedra.
O sentido total do arranjo Barroco começa a fazer sentido quando vemos o todo; o Adro da Igreja de Bom Jesus de Matosinhos; toda a dinâmica e movimento engendrada pelo gênio de Aleijadinho dispensa comentários. 

 Além da encenação possibilitada pela disposição dos profetas no elevado, a visita à Congonhas é indispensável pelas belíssimas esculturas em madeira das estações da paixão de Cristo. De uma beleza rara, elas remontam uma iconografia italiana de fluidez, demarcando uma riqueza de detalhes e cores. 
Por fim, esta experiência enriquecedora, possibilitou-me contato com a arte Barroca de Aleijadinho, o que contribui sobremaneira nas aulas. É inegável que o contato com a obra torna-se uma forma intensa de valorização e recepção dos códigos não explícitos no consumo de arte.