MENU PRINCIPAL

sexta-feira, agosto 22, 2014

COLAÇÃO DE GRAU LETRAS 2014 - UM MOMENTO EPIFÂNICO

O texto a seguir constitui-se do discurso que proferi , orgulhoso, enquanto paraninfo da turma de Letras 2014.


 
EPIFANIA

Epifania é uma súbita sensação de realização ou compreensão da essência de algo. Também pode ser um termo usado para a realização de um sonho com difícil percalço.

Para um fenômeno epifânico, penso, deveras é preciso duas coisas: alguém; o ser, o indivíduo; e uma circunstância. Um momento. Mas não podemos confundir a epifania como um profundo momento de alegria ou júbilo. Talvez para os fãs de futebol o gol do time amado seja de profunda felicidade, mas não epifânico. A festa de aniversário surpresa, ainda não seria epifânico. Uma vez que este fenômeno promove uma possibilidade além humana; um efeito tão transcendental quanto a capacidade do espírito do ser, que não pode ser medida, não pode ser limitado a pequenas e fortuitas vicissitudes diárias;  
Logo, para o entendimento deste momento tão sublime, talvez entrem pouquíssimas situações em nossa vida. Ou talvez nenhuma. Pobre o ser humano que tenha passado por esta vida sem um grande momento, um momento epifânico de verdade. Como inexplicável, talvez só exemplos nos possam instaurar a dimensão deste fenômeno.
Muitas vezes epifânico é o nascer do filho, do outro lado da sala, escutado pelo pai; epifânico é o primeiro olhar da mãe, ainda atordoada, para com seu bebê, ali entregue pelo médico; epifânico é a grandeza do casamento para os que realmente amam; da vitória da fé sobre a doença para aqueles que realmente creem; a vitória da amizade sobre as desavenças para aqueles que realmente fiam; e a vitória real para aqueles que realmente lutam.
Sensível é o momento epifânico. Não pela epiderme, ou para a mente em estado alerta; mas sim para o espírito ousado que quer sair, voar, e tem que se lembrar de ainda conter-se.
E além de tudo, de muito mais aqui não descrito, mas não menos importante, a vitória de todos aqueles que, lutando dia a dia, muitas vezes com dificuldades quase instransponíveis, barreiras insalubres, materializadas em problemas emocionais, doenças, perdas na família, dificuldades conjugais, problemas financeiros, possam bramir o peito, levantar o gládio e gritar: sim; venci; estou aqui; superei; recebo agora o prêmio da academia; recebo agora os méritos do conhecimento; os bônus do aprendizado; entro por aquela porta, de peito erguido, segurando o meu diploma! E posso agora afirmar: esse é um momento epifânico! Único em sua essência! perfeito, pois nos faz compreender os esforços que perpetraram! E a grandeza da luta! E olhar para si mesmo, em evolução, em uma entrada cercada de luz e cor, tal qual um deja vu, da vitória.  
A todos os professores, egressos do curso de Letras, turma 2014, Aproveitem esse momento epifânico: esse singular e raro momento de auto-reconhecimento, de reconhecimento da sociedade ante a vossa vitória, do reconhecimento de vossos familiares, filhos, pais, netos e companheiros!
Enchei-vos de orgulho aqueles que te cercam, que agora querem absorver esta epifania também. Enchei-vos de orgulho, mostrando o valor da luta; provando que quanto mais retesado o arco da promessa, mais longe o voo;
Dediquem este momento a vocês; os protagonistas desta batalha; mas mentalizem e foquem em quem sempre esteve junto de vós; a todos aqueles que estiveram lado a lado: família, amigos e professores;
E em homenagem a esse momento epifânico, eu quero fazer a última chamada enquanto acadêmicos do sétimo período de Letras, mesmo que não mais:
Triste daquele que foge da epifania. E que acredita que as colisões não deixam marcas boas. E acreditem; vocês podem tentar esquecer de mim, e de todos os professores; destas salas e destes muros. Mas nós não esqueceremos de vocês jamais.  Parabéns a todos. Muito obrigado.



3 comentários:

monica giselli freitas disse...

Obrigada professor o senhor não imagina o tanto que acrescentou ao meu conhecimento e creio que os demais colegas também pensam assim, por isso venho agradecer ao senhor e aos demais professores. Foi realmente um momento de epifania, espero encontrar-te em breve, quem sabe uma pós? abraços

Rômulo Giacome Fernandes disse...

Olá Mônica
bom tê-la por aqui
quem sabe você pode ser uma colaboradora do TEOLITERIAS?
Pensa nisso aí
Abração e sucesso

rosi marafon disse...

Parabéns aos formandos de Letras 2014. Esse realmente é um momento impar vida de cada formando, um sonho realizado, uma batalha vencida. E não podemos esquecer que somos enquanto professorando e logo após como professores, um pouquinho de cada professor que por nossa turma passou. E a cada dia que passa nós do 6º período de Letras estamos mais perto, e com a certeza que evoluímos muito e com uma vontade enorme de transmitir o que aprendemos na acadêmia para nossos futuros alunos.