MENU PRINCIPAL

quinta-feira, maio 18, 2017

RIO DE JANEIRO HISTÓRICO!! ENCONTROS COM O TÚMULO DE ÁLVARES DE AZEVEDO E A CAMA MORTUÁRIA DE GETÚLIO VARGAS!!

VIAGEM REALIZADA ENTRE OS DIAS 09 E 14 DE JULHO DE 2016, À CIDADE DO RIO DE JANEIRO, NA PRETENSÃO DE CONHECER PEGADAS DOS GRANDES SERES HUMANOS QUE PASSARAM POR AQUI; SERES COMO ÁLVARES DE AZEVEDO, GETÚLIO VARGAS, ENTRE OUTROS. 



Turismo pode ser uma experiência contemplativa de simples fruição, aventura ou visitação; também pode ser encontros e desencontros com a História; no Rio de Janeiro, qual a melhor opção? As duas, com certeza. E onde poderia se dar esse grande encontro?
A primeira opção do Dia foi o cemitério São João Batista. Um pouco inusitado? Mas não menos relevante. Onde poderíamos encontrar os indícios da presença de grandes autoridades, mitos, artistas e celebridades históricas, se não em sua passagem pós mortem?
A prioridade era chegar ao túmulo do poeta, gótico e punk romântico Álvares de Azevedo. Aquele mesmo que na escola, estudado de maneira pálida, não faz jus ao seu impacto artístico social. Escritor de Noites na Taverna, ele encrustou na obra seu modo de vida ensandecido. Morreu aos vinte e três anos apenas. Encontrar seu túmulo era resgatar sua passagem por este planeta real, o planeta além dos livros, o planeta além didática.
E ei que encontramos seu túmulo. E encontramos muitos outros túmulos relevantes, o que nos faz pensar que o Cemitério São João Batista é um roteiro turístico em potencial.

Seguem os registros deste tour mortuário. 
Registro Mortuário da passagem pela terra do Grande Cazuza;




 Abaixo, Clara Nunes;

 Visão panorâmica, com pedras cariocas ao Fundo: Cemitério São João Batista é um local de Paz. (Helem Cristiane) 

 Carmem Miranda:



 Floriano Peixoto: uma alameda e espaço especial. 


 Eis abaixo a pérola da Coroa; o objeto da ansiedade máxima em torno da visita ao cemitério: os restos mortais e a referência material da presença do nosso grande ídolo poético do Romantismo, Álvares de Azevedo. Magistral. 


 Cemitério e Cristo ao Fundo: cartão postal gótico abaixo.


 Tom Jobim;
 O nosso Lima Barreto; escritor influente e primordial de nossa literatura pré-moderna, que morreu esquecido em um sanatório. Hoje é conclamado em nossos livros de histórias. 

ABAIXO: GETÚLIO VARGAS E O PALÁCIO DO CATETE

Getúlio Vargas é um nome emblemático na Política e Teoria geral do estado no Brasil. Foi eleito indiretamente, ditador e eleito democraticamente, experimentando todas as nuances da soberania estatal. Constituiu a constituição federativa de modelo ditatorial (1937). Abaixo, o que restou, materialmente, da sua presença aqui na terra, principalmente registrado no Museu do Catete, antiga sede do poder Brasileiro.  



 Cama onde ele supostamente cometeu o suicídio tão afamado; visão frontal; 
 Detalhe da arma, que supostamente foi utilizada no suicídio. Detalhe, também, do pijama utilizado no ato. 
 Detalhe do tecido na cama. Tentativa de preservar o espírito do ocorrido na época. 

Detalhe da arma novamente.
Contato físico com as evidências da história; quanto mais perto, melhor. Um privilégio reconhecer os indícios da materialidade histórica. A cama, o quarto, ambientalizam circunstâncias relevantes do passado. 


Nenhum comentário: